fbpx

Notícias

Patrulha Maria da Penha completa um ano em Cacoal


Data foi celebrada com palestras realizadas na tarde desta quarta-feira na Unesc

 

No dia 21 de agosto, o 4°Batalhão de Polícia Militar celebrou o primeiro ano de atuação da Patrulha Maria da Penha em Cacoal. Pautada nos princípios de polícia comunitária, trata-se de um programa da Polícia Militar do Estado de Rondônia que se vale de uma estratégia de policiamento direcionado para a prevenção à violência doméstica e familiar contra a mulher.

Mais que uma ronda policial, a Patrulha Maria da Penha é um verdadeiro acompanhamento das vítimas de violência, seja por visitas preventivas periódicas, fiscalização de medidas protetivas, atendimento assistencial qualificado e pacificação de conflitos.

Celebrando este primeiro ano de atuação em Cacoal, parte da equipe da Patrulha Maria da Penha ministrou na tarde desta quarta-feira (21) uma palestra aos acadêmicos de Direito e Psicologia da Unesc em Cacoal.

Na ocasião, a Capitã PM Psicóloga Josélia, a Sargento PM Lorenzon e a Cabo PM Andreia abordaram os tipos de violência contra mulheres: física, psicológica, moral, sexual e patrimonial; o ciclo da violência doméstica; sinais de um relacionamento abusivo e em especial a Rede de Atendimento à Vítima de Violência Doméstica em Cacoal “Mulheres de Fibra”.

O projeto desenvolvido pelo 4°BPM tem como objetivo principal atender todas as vítimas que possuem Medidas Protetivas de Urgência. Essas mulheres são atendidas pela Patrulha Maria da Penha, tanto no campo jurídico, psicológico, saúde e laboral. O projeto Mulheres de Fibra também oferece a essas mulheres capacitação para o mercado de trabalho.

A acadêmica de Psicologia da Unesc Helade Cezar de Oliveira assistiu atenta às palestras. Para ela, às pessoas precisam ter total acesso a esse tipo de informação. “A violência contra a mulher é algo enraizado culturalmente em nossa sociedade. Palestras como essa são cruciais para que as mulheres nessa situação percebam que não são as únicas, que alguém pode ajudar e que existem formas de sair dessa condição. Além disso, orientam os cidadãos para que saibam como agir ao se depararem com um cenário de violência doméstica. A patrulha Maria da Penha têm desenvolvido um excelente trabalho, sendo fundamental para salvar a vida de muitas mulheres”.

Antes de iniciar sua palestra abordando o “Feminicídio”, o defensor público Roberson Bertoni fez questão de parabenizar o projeto desenvolvido pela Polícia Militar do Estado de Rondônia e a parceria da Unesc, que abriu um importante espaço de debate sobre um tema tão relevante como a violência contra mulheres. “Fico muito contente por estar aqui, por acompanhar todo o trabalho que é desenvolvido pela Polícia Militar e pela iniciativa da Unesc de trazer os policias militares para apresentarem à comunidade acadêmica todo o trabalho que é desenvolvido pelo Batalhão, relacionado à violência doméstica e familiar”.

(Giliane Perin)