CPA e Avaliações

CPA - Comissão Própria de Avaliação

O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído pela Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004, estabeleceu a Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (CONAES) como órgão colegiado de supervisão e coordenação do SINAES. Neste contexto foi criada a Comissão Própria de Avaliação (CPA) na instituição, que tem por função coordenar e articular o processo interno de avaliação. O Projeto de Avaliação elaborado pela CPA da UNESC teve como referência as diretrizes contidas no documento acima citado e nas demais orientações do SINAES.

A CPA prestará contas de suas atividades aos órgãos colegiados superiores da UNESC, apresentando relatórios, pareceres e recomendações com vistas a proporcionar o desenvolvimento institucional pela análise consciente das qualidades, problemas e desafios para o presente e futuro.

Assim, a autoavaliação possibilitará identificar e avaliar sua atuação perante a comunidade, bem como fornecer indicadores que permitirão a reorganização do processo ensino-aprendizagem na busca de inovações sem perder de vista a função social da educação superior no Brasil.

Desta forma, a UNESC não só reconhece a importância de avaliar-se mas assume a autoavaliação como processo a partir do qual é possível atingir de forma mais eficiente e efetiva o conhecimento de sua dinâmica, de seu modo de inserção na sociedade e do significado de seu trabalho como subsídios contínuos para redirecionar seus programas, projetos e compromissos de forma a reconstruir-se como Instituição de Ensino Superior.

A UNESC adota o programa de autoavaliação institucional como processo absolutamente isento de intenções que não sejam a de avaliar para melhorar. A CPA é composta por quatro professores da IES, dois representantes do corpo técnico-administrativo, dois acadêmicos e dois representantes da sociedade civil.

Concepção de Autoavaliação

O SINAES propõe uma avaliação institucional integrada por diversos instrumentos complementares, entre eles a autoavaliação institucional.

De acordo com as diretrizes para a avaliação das Instituições de Educação Superior, a avaliação institucional é compreendida como a grande impulsionadora de mudanças no processo acadêmico de produção e disseminação de conhecimento, que se concretiza na formação de cidadãos e profissionais e no desenvolvimento das atividades de pesquisa e de extensão.

Dessa forma, o propósito da autoavaliação da UNESC é o de conduzir-se ao aperfeiçoamento constante dos “empreendimentos”, cujos princípios mais importantes capazes de explicar a natureza deste processo, sua necessidade para o desenvolvimento institucional e razão de ser podem ser expressos pelos objetivos de autorreferência, autoanálise e autodesenvolvimento.

Objetivo Geral

Avaliar a UNESC a partir de fatores internos e externos visando o aprimoramento das atividades de ensino, pesquisa, pós-graduação, extensão e de gestão, com o propósito de prestar contas à comunidade local do desempenho da IES no que se refere ao cumprimento de sua função social.

Metodologia

A metodologia adotada contempla a técnica do grupo focal, conforme a exposição de Suanno (2002), por possibilitar a realidade institucional, recorrer a indicadores internos e externos, dando ênfase aos indicadores internos, construídos de forma participativa, e por valorizar a analise histórica de outros momentos avaliativos vividos na instituição, permitindo a percepção dos avanços e retrocessos no processo.

Tal metodologia é adotada pela CPA também por ser uma técnica sócio-qualitativa, coletiva, dinâmica e que promove a sinergia entre os membros da equipe analisada e valoriza a palavra dos atores sociais reconhecendo-os como “expert” de sua própria realidade, o que propicia o autodesenvolvimento tanto dos profissionais quanto da IES.

A técnica do grupo focal apresenta-se para a CPA como uma ferramenta extremamente útil e viável por considerar a instituição como um todo, atendendo ao princípio da globalidade e integração de forma associada, o que permite uma visão geral e abrangente da instituição.

Operacionalização da Metodologia

A CPA promoverá os trabalhos de sensibilização em quatro momentos diferentes. Primeiro, junto aos coordenadores de cursos; depois, junto aos professores, com a colaboração dos coordenadores; depois, junto aos funcionários técnico-administrativos, por meio de seminários e grupos de estudos sobre o projeto de autoavaliação institucional, e, por último, junto aos acadêmicos, com a colaboração de todos os profissionais da IES.

Etapas da Avaliação

Sensibilização continuada: Ações destinadas à sensibilização da comunidade universitária.
Avaliação Interna: Processo de autoavaliação da instituição por meio do qual ela identifica as necessidades e redireciona os objetivos e estratégias dos cursos e, em âmbito mais amplo, das políticas e do planejamento institucional.
Avaliação Externa: Toma por base o relatório da avaliação interna sob propósito de analisar, validar e/ou indicar ajustes às conclusões do processo de autoavaliação.
Reavaliação: Processo de discussão da comunidade universitária para confrontar os resultados da avaliação interna com os resultados da avaliação externa.
Reformulação e Difusão: Relatório final da reavaliação serve de subsídio para um seminário integrado por representantes da comunidade universitária da UNESC e avaliadores externos.

Avaliações

Selecione o ano, para visualizar o relatório: